ENSAIO DE CARBONATAÇÃO NOS PILARES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE – UNI-RN

  • Juliana Rodrigues Siqueira
  • Fábio Sérgio da Costa Pereira
Palavras-chave: Carbonatação, Fenolftaleína, Corrosão

Resumo

Em ambientes urbanos o concreto está exposto à alta concentração de gás carbônico que penetra
nos poros do concreto e diminui sua resistência, avança até as armaduras onde causa corrosão. Em
virtude disso, para evitar transtornos para o construtor e para o proprietário, este trabalho tem
como objetivo apresentar a descrição da metodologia executiva do ensaio não-destrutivo existente
e os resultados obtidos no ensaio não-destrutivo realizados in-loco em pilares de concreto armado
do Centro Universitário do Rio Grande do Norte. Este ensaio serve para identificar as causas das
patologias existentes e direcionar os serviços de recuperação estrutural e/ou reforço estrutural a
serem executados, contribuindo assim tanto para evitar danos nas estruturas como para identificar
problemas ainda no estágio inicial da construção gerando um custo inferior aos serviços de
recuperação estrutural a serem realizados ou a não necessidade da realização dos mesmos, sem
causar danos (destruição) aos materiais analisados, fato este importantíssimo principalmente nos
elementos estruturais (pilares, vigas e lajes). O ensaio realizado neste trabalho foi: Presença de
carbonatação. Foi realizado um estudo de caso como modelo para execução visando a melhoria do
estado das estruturas de concreto armado, bem como a diminuição das patologias nas edificações
e ocorrência de colapsos estruturais. Após a análise dos resultados do ensaio não-destrutivo realizado,
e exames visuais in-loco, ao aplicar a fenolftaleína foi evidenciado que todos os pilares das
estruturas do Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN), apresentam carbonatação,
devendo-se iniciar o projeto de recuperação e reforço, devido a existência de corrosão com ou
sem perda de seção das armaduras, apresentando contaminação por carbonatação, realizando a
seguinte metodologia executiva nos serviços: remoção do concreto desagregado com liberação das
armaduras com corrosão, aplicação de um hidro jateamento de areia nas armaduras com corrosão
para sua limpeza, aplicação de pintura de zinco nas armaduras antigas, aplicação de grout tixotrópico,
aplicação de uma argamassa de cimento e areia no traço 1:3 para recomposição das seções
e aplicação de uma argamassa polimérica externa visando o aumento da durabilidade e vida útil.
Caso exista situação de perda de seção superior a 10% em alguma armadura principal ou de estribo
nos pilares, deverá se proceder o reforço estrutural com introdução de nova armadura com
mesmo diâmetro e comprimento, sendo a mesma ancorada no bloco de fundação, substituindo-se
o grout tixotrópico pelo grout expansivo, com a introdução de formas metálicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-10-30
Como Citar
Siqueira, J., & da Costa Pereira, F. (2019). ENSAIO DE CARBONATAÇÃO NOS PILARES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE – UNI-RN. Revista UNI-RN, 19(2), 78. Recuperado de http://revistas.unirn.edu.br/index.php/revistaunirn/article/view/637
Seção
Artigos